top of page
  • pactosantacruzpela

GGIM discute ações do Pacto pela Paz e implantação de Delegacia do Idoso

O Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) realizou sua reunião mensal na manhã desta quarta-feira (11/05), no Salão Nobre do Palacinho. O tema principal do encontro foi o andamento das atividades relacionadas ao Pacto Santa Cruz pela Paz, programa municipal de prevenção à violência.

O grupo conta com a participação de representantes de diversas secretarias municipais, do Ministério Público e dos órgãos de segurança pública.

O encontro foi aberto pela prefeita Helena Hermany. Ela enalteceu a mobilização em torno da iniciativa. Para a prefeita, o investimento em prevenção é eficaz, barato e dá resultado. "Este programa vai transformar a nossa comunidade e o envolvimento de todos é fundamental!"

Conforme o secretário de Governança e Relações Institucionais e coordenador do Pacto, Everton Oltramari, é preciso acompanhar a evolução das ações propostas pelo Pacto, com cada secretaria responsável informando o andamento dos programas sob sua responsabilidade.

Tâmara Biolo Soares, presidente do Instituto Cidade Segura, entidade que presta apoio técnico à iniciativa, destacou que o eixo de prevenção do Pacto iniciou com a capacitação de servidores para a implementação dos programas e ações.

A secretária de saúde Daniela Dunke relatou que enfermeiros e agentes comunitários receberam formação no Programa Ame, focado no treinamento familiar e de cuidadores para a educação sem violência. Conforme a Secretária, a meta deste programa é atingir o atendimento de 500 famílias por ano.

O secretário de Educação João Wenzel destacou a qualificação de 180 profissionais da rede municipal de ensino e 200 da rede estadual. Eles estarão envolvidos na aplicação de dois programas. O Conte Comigo treina mães, pais e professores de educação infantil para, com o auxílio de livros, estimular o desenvolvimento cognitivo da criança e o fortalecimento de vínculos. A iniciativa tem como meta atender 2.900 crianças e mil famílias por ano.

O Seja, programa de educação socioemocional e comunicação não violenta, está voltado para estudantes do ensino fundamental no município. A iniciativa já vem surtindo efeito na rede municipal, com relatos de estudantes que têm conseguido aplicar as técnicas desenvolvidas em situações de conflito do cotidiano. “São crianças e adolescentes que precisam desta ferramenta e agora vão dispor dela”, declarou Tâmara Soares, presidente do Instituto Cidade Segura.

Everton Oltramari também apresentou ao grupo um breve relato de uma visita técnica ao município de Pelotas. A cidade da zona sul do Estado tem servido de inspiração a Santa Cruz por sua experiência bem-sucedida no Pacto pela Paz. Oltramari divulgou exemplos de iniciativas adotadas pelo executivo municipal pelotense e que podem ser replicadas.

O GGIM é um fórum deliberativo e executivo, para a implementação de ações e políticas públicas de prevenção à violência e combate à criminalidade.

Idosos – O GGIM demonstrou insatisfação com a negativa por parte da Chefia de Polícia do Estado para a criação de uma Delegacia de Proteção ao Idoso no município. A ideia, lançada pelo líder do governo na Câmara, vereador Henrique Hermany, já havia recebido indicação do Legislativo municipal e moção de apoio do próprio GGIM para a sua implantação.

O parlamentar questionou os critérios apresentados pela Chefia de Polícia para rejeitar o pleito santa-cruzense. Conforme o órgão estadual, além da população mínima acima de 8 mil habitantes na área de atuação do órgão a ser criado, também é necessário volume de ocorrências absoluto igual ou superior a 3.000/ano e nível de criminalidade igual ou superior a 15.200 pontos/ano. “Se pensarmos assim, teremos que esperar que Santa Cruz chegue a um cenário de caos para que a delegacia seja implementada”, comentou.

Conforme Hermany, vem ocorrendo uma crescente no número de crimes cibernéticos e bancários contra pessoas da terceira idade, além de outras violências a que os idosos estão expostos. Para o parlamentar, é necessário reconhecer a necessidade desta parcela da população. O GGIM decidiu por manter a mobilização em torno do objetivo e buscar a sensibilização das autoridades estaduais para o atendimento da demanda, com a instalação de uma delegacia ou ao menos um cartório para atender aos idosos no município. O Promotor de Justiça Flávio Passos colocou o MP à disposição do GGIM para gestionar esse pleito junto à Secretaria Estadual de Segurança Pública.









3 visualizações0 comentário

Kommentarer


bottom of page