top of page
  • Foto do escritorcondaowix

Pacto pela Paz mostra resultados promissores na educação socioemocional de alunos santa-cruzenses

Professores das redes municipal e estadual de Santa Cruz do Sul participaram, na noite desta quinta-feira (27), de mais uma capacitação do Programa Seja, voltado ao ensino de habilidades socioemocionais a alunos do 1º ao 9º ano do fundamental. O encontro foi realizado no auditório do Bloco 18 da Unisc e reuniu mais de 200 profissionais da educação. A iniciativa faz parte das ações do Pacto pela Paz, envolvendo professores, alunos e familiares, em dinâmicas que propagam a cultura da não violência, e já mostra resultados promissores.

No ano passado, primeiro ano de execução do Programa, cerca de 400 educadores passaram pelas capacitações. O encontro desta quinta foi ministrado por representantes do Instituto Cidade Segura, responsável pela operacionalização do Seja em Santa Cruz do Sul - Lisiane Rech, Breno de Freitas e Klaus Hensel. Representando a Prefeitura, que idealiza e executa o Programa no município, estiveram presentes os secretários Wagner Machado e Roberta Pereira - nova coordenadora do Pacto. Participou também a assessora da Coordenadoria Regional de Educação, Ana Constancio. Para a próxima quarta-feira (3), está marcada a última etapa da formação deste ano. Na semana passada, aconteceram encontros online.

Exemplos de sucesso na EMEF Duque de Caxias

Na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Duque de Caxias, cerca de 500 alunos já foram impactados com o Seja e as mudanças de hábitos são perceptíveis tanto no ambiente escolar quanto no núcleo familiar. Catiucia Silveira, mãe da aluna Maria Eduarda, relata que o Programa ensinou a filha a agir com mais calma nas conversas e atitudes: “fez com que ela aprendesse a respirar, esperar sua hora de falar e agir, respeitar as diferenças, o tempo e o espaço do outro. Coisas que aprendeu dentro da escola e refletiram muito na nossa convivência em casa”. Inspirados no mascote Bento Atento, um cachorro que propaga o poder da atenção e da escuta atenta, os alunos aprenderam a fazer meditação e exercícios lúdicos para treinar a respiração e a concentração, controlando situações de raiva e estresse.

A orientadora educacional da EMEF, Tatiana Dubow, conta que, para planejar as aulas do Seja - realizadas semanalmente -, os professores receberam um manual com orientações e cada aluno ganhou um livro didático com propostas de atividades. Os resultados mostram visíveis melhoras nas relações interpessoais: “muitos chegaram e nos disseram depois: profe, eu iria bater, eu iria brigar, mas lembrei da calma, de parar, respirar, e então não aconteceu”. A diretora Carla Kroth avalia ser esta uma boa forma de educar crianças e adolescentes para tomarem decisões responsáveis, evitando problemas comportamentais e reduzindo índices de violência: “Foi muito perceptível a diminuição das brigas entre colegas, dos atritos em sala de aula”, afirma. O Programa deve seguir sendo executado na Escola e, neste ano, mais profissionais estão aderindo às capacitações, para ampliar as ações do Seja com estudantes e suas famílias.

A importância do Seja no Pacto pela Paz e redução da violência


Roberta, que assumiu nesta semana a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, é também a nova coordenadora do Pacto Santa Cruz pela Paz. Ela substitui o atual secretário de Planejamento e Governança, Everton Oltramari, um dos responsáveis pela implantação da iniciativa na gestão da prefeita Helena Hermany. Na abertura do evento na Unisc, ela agradeceu a todos os educadores presentes, destacando a importância da educação para reduzir os índices de violências na sociedade: “Quero agradecer a todos pelo papel que desempenham no Programa. Sem a participação e a paixão dos professores a gente não consegue alcançar, pois é na escola que plantamos sementes e colhemos, futuramente, cidadãos que realmente farão a diferença na sociedade”, disse.

O secretário municipal de Educação, Wagner Machado, que acompanha as ações do Programa desde o ano passado, destacou a gratidão que tem aos professores de Santa Cruz, que estão “engajados na batalha por uma sociedade mais justa, igualitária e de paz”. Ele lembrou ainda da importância de ensinar crianças e adolescentes a aprenderem a lidar com suas próprias emoções, cuidando da saúde mental e emocional a fim de minimizar a criminalidade. “É por isso que tem fundamental importância o trabalho dos educadores, para que possamos ter bons frutos para colher no futuro”, concluiu.






35 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page